11 dezembro, 2010

DESDÉM

Andas dum lado pro outro
Pela rua passando;
Finges que não queres ver
Mas sempre me vais olhando.
É um olhar fugídio,
Olhar que dura um instante,
Mas deixa um rasto d'estrelas
O doce olhar saltitante...

É este rasto bendito
Que atraiçoa o teu olhar,
Pois é tão leve e fugaz
Que eu nem o sinto passar!

Quem tem uns olhos assim
E quer fingir o desdém,
Não pode nem um instante
Olhar os olhos d'alguém...
Por isso vai caminhando...
E se queres a muita gente
Demonstrar que me desprezas
Olha os meus olhos de frente!...

Florbela Espanca

10 dezembro, 2010

MADRE TERESA

“Não ames pela beleza, pois um dia ela acabará. Não ames por admiração, pois um dia desiludir-te-ás. Ama apenas, pois o tempo nunca pode acabar com um amor sem explicação.
Madre Teresa de Calcutá
http://www.frasesgospel.com.br/madre-teresa-de-calcuta/

"Mudei de Mundo, tenho Parkinson"

Sou filha de uma parsoniana, e ao ler essa postagem, me identifiquei da primeira vírgula, ao último ponto.

Mamãe, eu e minha filha

"Mudei de Mundo, tenho Parkinson"
Decidi escrever um breve texto sobre esta complicada doença, pois tenho um familiar muito próximo que tem Parkinson e aprendi que é muito importante estar a par da mesma.
Descrita primeiramente por James Parkinson em "An Essay on the Shaking Pulse" (1817) a doença de Parkinson é um dos distúrbios do movimento que mais acomete os idosos. É caracterizada por quatro sinais essenciais: rigidez muscular, tremor de repouso, hipocinesia (diminuição da mobilidade) e instabilidade postural. A doença de Parkinson é um desequilíbrio do sistema nervoso central que afecta milhares de pessoas. Porque não é contagioso, a incidência da doença é frequentemente subestimada. A doença de Parkinson pode aparecer em qualquer idade, mas é pouco comum nas pessoas com idade inferior a 30 anos. Ocorre em todas as partes do mundo, e os homens são ligeiramente mais afectados do que mulheres.
Esta doença é insidiosa, podendo começar às vezes com um tremor, outras vezes com falta de mímica facial, diminuição do piscar, olhar fixo, movimentos lentos (bradicinesia). A voz poderá ser monótona, escorrendo com facilidade saliva pelos cantos da boca.
A marcha fica cada vez mais difícil, com passos pequenos, arrastando os pés, com os braços encolhidos, tronco inclinado e, em casos avançados a pessoa aumenta a velocidade da marcha para não cair (festinação). Outras vezes, pode ficar parado (congelado) com enorme dificuldade para se colocar em movimento.
Os tremores, que são involuntários, em uma ou em várias partes do corpo, caracterizam-se pelos três "R's" - Regular, Rítmico e de Repouso. Também se caracterizam por diminuir com os movimentos voluntários, manifestando-se sobretudo nas mãos.
Como existe uma hipocinesia, que se caracteriza por um deficit dos movimentos automáticos, o paciente fica como que parado, estático, com os movimentos voluntários lentos, diminuindo a capacidade inclusive de escrever, ficando a letra pequena (micrografia) e a linguagem monótona e às vezes ininteligível.
O diagnóstico na fase inicial, muitas vezes não é fácil, sendo que, o mesmo deverá ser realizado por um médico, preferencialmente neurologista, que dirá se a causa é idiopática (causa desconhecida), ou se é devido a outras causas. Os sintomas acima referidos podem ser devidos a medicamentos variados (fenotiazinas, haloperidol, reserpina, lítio, cinarizinas, flunarizina), porém, nesse caso, não costumam ser tão intensos.
Intoxicação por monóxido de carbono ou manganês, enfartes cerebrais dos gânglios de base, hidrocefalia, traumatismos cranioencefálicos, encefalites, podem ser a causa desta doença, que tem tratamento e controle, porém não tem cura.
O diagnóstico à medida que o tempo passa torna-se mais nítido, evidente e fácil (a exemplo e imagem do Papa João Paulo II). Cada indivíduo responde diferentemente ao tratamento e o que favorece um paciente pode desfavorecer outro. É necessário corrigir a diminuição progressiva da dopamina com calma.
O tratamento consiste no uso de medicamentos, fisioterapia, psicoterapia e, em alguns casos seleccionados, cirurgia. É importante tomar cuidado com certos tipos de medicamentos que desencadeiam ou pioram a síndrome Parkinsoniana.
NOTA: Quem convive com portadores da síndrome Parkinsoniana deve tomar alguns cuidados, a fim de melhorar a qualidade de vida e a segurança nas actividades diárias: Mantenha as áreas de circulação livres de móveis e de tapetes soltos, instale luzes para circulação nocturna, mantenha o piso da banheira com tapetes antiderrapantes, entre muitos outros. Também é importante tentar consciencializar o doente que deve: elevar o pé do chão a cada passo; procurar dormir deitado de lado, a fim de não se engasgar com a saliva; não subir escadas ou cadeiras para pegar em objectos que se encontrem em lugares altos; evitar o uso de roupas com botões ou fechos pequenos, que dificultem a manipulação; ao levantar-se da cama, apoiar bem os pés no chão, para ter impulso e ficar em pé.
É mesmo muito importante mantermo-nos informados sobre doenças que podem aparecer a qualquer momento e quando menos esperamos!!

Extraída do Blog: O amor a força mais suctíl do mundo
http://oamoreaforcamaissubtildomundo.blogspot.com/2010/07/mudei-de-mundo-tenho-parkinson.html

HISTÓRIA DO NATAL DIGITAL

08 dezembro, 2010

Tenho frio e ardo em febre!

Tenho frio e ardo em febre!
O amor me acalma e endouda!
 O amor me eleva e abate!
Quem há que os laços, que me prendem, quebre?
Que singular, que desigual combate!
Não sei que ervada flecha
Mão certeira e falaz me cravou com tal jeito,
Que, sem que eu a sentisse, a estreita brecha
Abriu, por onde o amor entrou meu peito.

O amor me entrou tão cauto
O incauto coração, que eu nem cuidei que estava,
Ao recebê-lo, recebendo o arauto
Desta loucura desvairada e brava.
Entrou. E, apenas dentro,
Deu-me a calma do céu e a agitação do inferno...
E hoje... ai de mim!, que dentro em mim concentro
Dores e gostos num lutar eterno!
O amor, Senhora, vede:
Prendeu-me. Em vão me estorço, e me debato, e grito;
Em vão me agito na apertada rede...
Mais me embaraço quanto mais me agito!
Falta-me o senso: a esmo,
Como um cego, a tatear, busco nem sei que porto:
E ando tão diferente de mim mesmo,
Que nem sei se estou vivo ou se estou morto.
Sei que entre as nuvens paira
Minha fronte, e meus pés andam pisando a terra;
Sei que tudo me alegra e me desvaira,
E a paz desfruto, suportando a guerra.

E assim peno e assim vivo:
Que diverso querer! Que diversa vontade!
Se estou livre, desejo estar cativo;
Se cativo, desejo a liberdade!
E assim vivo, e assim peno:
Tenho a boca a sorrir e os olhos cheios de água;
E acho o néctar num cálix de veneno,
A chorar de prazer e a rir de mágoa.
Infinda mágoa! Infindo
Prazer! Pranto gostoso e sorrisos convulsos!
Ah! Como dói assim viver, sentindo
Asas nos ombros e grilhões nos pulsos!
Olavo Bilac
(1865-1918)

04 dezembro, 2010

PASSARIM TODIM


 
Passarim todim
(Eudes Fraga / Marcos Quinan / Iranildo Pereira)


Hoje sou sabiá

Voei procurando meu bem

O meu canto acauã, eu sei

É saudade de alguém



Já senti muita dor também

Assum preto que sou

Fui cancão no terreiro, vem-vém

Só por causa do amor



Asa branca voou, voou

Rosinha chorou

E a légua tirana levou

Meu pedaço de chão



Juriti só cantou, cantou

Gavião quis bicar, bicou

Patativa no céu contou

Cantos de arribação



A Rolinha pousou, pousou

Rodeou minha mão, ciscou

Trouxe junto o uirapuru

Pra cantar um baião



Hoje sou passarim todim, todim

São, são todos em mim cantando assim

Hoje sou passarim todim, todim

Sou Luiz, sou baião vim-vim, vim-vim

03 dezembro, 2010

PASSARIM - Tom Jobim

Passarim quis pousar, não deu, voou
Porque o tiro partiu mas não pegou
Passarinho me conta então me diz
Porque que eu também não fui feliz
Me diz o que eu faço da paixão
Que me devora o coração
Que me devora o coração
Que me maltrata o coração
Que me maltrata o coração

E o mato que é bom, o fogo queimou
Cadê o fogo, a água apagou
E cadê a água, o boi bebeu
Cadê o amor, o gato comeu
E a cinza espalhou
E a chuva carregou
Cadê meu amor que o vento levou

(Passarim quis pousar, não deu, voou)
Passarim quis pousar, não deu, voou
Porque o tiro feriu mas não matou
Passarinho me conta então me diz
Por que que eu também não fui feliz
Cadê meu amor minha canção
Que me alegrava o coração
Que me alegrava o coração
Que iluminava o coração
Que iluminava a escuridão

Cadê meu caminho a água levou
Cadê meu rastro, a chuva apagou
E a minha casa, o rio carregou
E o meu amor me abandonou
Voou, voou, voou
Voou, voou, voou
E passou o tempo e o vento levou

Passarim quis pousar, não deu, voou
Porque o tiro feriu mas não matou
Passarinho me conta então, me diz
Por que que eu também não fui feliz
Cadê meu amor minha canção
Que me alegrava o coração
Que me alegrava o coração
Que iluminava o coração
Que iluminava a escuridão
E a luz da manhã, o dia queimou
Cadê o dia, envelheceu
E a tarde caiu e o sol morreu
E de repente escureceu
E a lua então brilhou
Depois sumiu no breu
E ficou tão frio que amanheceu
(Passarim quis pousar, não deu, voou)
Passarim quis pousar não deu
Voou, voou, voou, voou, voou.

01 dezembro, 2010

30 novembro, 2010

FÓTONS

"Imagine a seguinte situação: você me toca e o mundo explode, em bilhões de faíscas. Não dá medo, essa sabedoria popular? Pois quando lhe vejo o mundo não fica mais radiante?"
(M.Grillo)

AS ROSAS NAO CONTAM ???

Me disseram que as rosas não contam
Não contam porque nem espantam o frio
Nem matam a fome
Me disseram que as rosas são supérfluas
E que por isso
Não é preciso o povo ter jardim
Pra poder plantá-las
E nem um salário suficiente
Pra poder comprá-las
Me disseram que o lazer não conta
Não conta porque nem espanta o frio
Nem mata a fome
Me disseram que o lazer é supérfluo
E que por isso
Não é preciso o povo ter tempo
Pra poder curti-lo
E nem direitos
Pra poder exigi-lo
Me disseram que o prazer não conta
Não conta porque nem espanta o frio
Nem mata a fome
Me disseram que o prazer é supérfluo
E que por isso
Não é preciso o povo ter condições
Pra poder vivê-lo
E nem sabedoria
Pra poder valorizá-lo
Me disseram tanto, tanto
Mas não me provaram nada
Pra mim
Continua assim
Que também as rosas
O lazer
E o prazer
Espantam o frio
E matam a fome
O frio de uma vivência inerte
E a fome por uma vida abundante

(Autoria desconhecida) se alguém souber...informe!!

DITADOS POPULARES, AGORA VIRTUAIS

Pinçado do FB de Sérgio Garschagen, até a fotinho, peguei lá.. Pinçado = roubado


. A pressa é inimiga da conexão.
. Amigos, amigos, senhas à parte.
. Antes só, do que em chats aborrecidos.
. A arquivo dado não se olha o formato.
. Diga-me que chat freqüentas e te direiquem és.
• Para bom provedor uma senha basta.
• Não adianta chorar sobre arquivo deletado.
• Em briga de namorados virtuais não se mete o mouse.
• Em terra off-line, quem tem 486 é rei.
• Hacker que ladra, não morde.
• Mais vale um arquivo no HD do que doisbaixando.
• Melhor prevenir do que formatar.
• O barato sai caro. E lento.
• Quando a esmola é demais, o santo desconfia que tem vírus anexado.
• Quando um não quer, dois não teclam.
• Quem ama um 486, Pentium 5 lhe parece.
• Quem clica seus males multiplica.

29 novembro, 2010

MANUEL BANDEIRA

... depois que tu partiste,
perdi de todo a alegria:
fiquei triste,triste,triste.

Nunca dantes me senti
...tão desinfeliz assim:
É que ando pela vida
sem vida dentro de mim..... 

DESEJO PRIMEIRO QUE VOCÊ ME AME

Desejo primeiro que você ame,
E que amando, também seja amado.
E que se não for, seja breve em esquecer.
E que esquecendo, não guarde mágoa.
Desejo, pois, que não seja assim,
Mas se for, saiba ser sem desesperar.

Desejo também que tenha amigos,
Que mesmo maus e inconseqüentes,
Sejam corajosos e fiéis,
E que pelo menos num deles
Você possa confiar sem duvidar.
E porque a vida é assim,

Desejo ainda que você tenha inimigos.
Nem muitos, nem poucos,
Mas na medida exata para que, algumas vezes,
Você se interpele a respeito
De suas próprias certezas.
E que entre eles, haja pelo menos um que seja justo,
Para que você não se sinta demasiado seguro.

Desejo depois que você seja útil,
Mas não insubstituível.
E que nos maus momentos,
Quando não restar mais nada,
Essa utilidade seja suficiente para manter você de pé.

Desejo ainda que você seja tolerante,
Não com os que erram pouco, porque isso é fácil,
Mas com os que erram muito e irremediavelmente,
E que fazendo bom uso dessa tolerância,
Você sirva de exemplo aos outros.

Desejo que você, sendo jovem,
Não amadureça depressa demais,
E que sendo maduro, não insista em rejuvenescer
E que sendo velho, não se dedique ao desespero.
Porque cada idade tem o seu prazer e a sua dor e
É preciso deixar que eles escorram por entre nós.

Desejo por sinal que você seja triste,
Não o ano todo, mas apenas um dia.
Mas que nesse dia descubra
Que o riso diário é bom,
O riso habitual é insosso e o riso constante é insano.

Desejo que você descubra ,
Com o máximo de urgência,
Acima e a respeito de tudo, que existem oprimidos,
Injustiçados e infelizes, e que estão à sua volta.

Desejo ainda que você afague um gato,
Alimente um cuco e ouça o joão-de-barro
Erguer triunfante o seu canto matinal
Porque, assim, você se sentirá bem por nada.

Desejo também que você plante uma semente,
Por mais minúscula que seja,
E acompanhe o seu crescimento,
Para que você saiba de quantas
Muitas vidas é feita uma árvore.

Desejo, outrossim, que você tenha dinheiro,
Porque é preciso ser prático.
E que pelo menos uma vez por ano
Coloque um pouco dele
Na sua frente e diga "Isso é meu",
Só para que fique bem claro quem é o dono de quem.

Desejo também que nenhum de seus afetos morra,
Por ele e por você,
Mas que se morrer, você possa chorar
Sem se lamentar e sofrer sem se culpar.

Desejo por fim que você sendo homem,
Tenha uma boa mulher,
E que sendo mulher,
Tenha um bom homem
E que se amem hoje, amanhã e nos dias seguintes,
E quando estiverem exaustos e sorridentes,
Ainda haja amor para recomeçar.
E se tudo isso acontecer,
Não tenho mais nada a te desejar ".

(Victor Hugo)

24 novembro, 2010

Dicas fantásticas para ficar pobre

Vou listar alguns comportamentos que são verdadeiros ladrões de prosperidade, e que muitas vezes não temos a consciência do quanto são prejudiciais. Todos estão ligados, de uma forma ou de outra, ao pensamento de escassez. Portanto, se você quiser plantar problemas financeiros, pratique o seguinte: Fale mal dos ricos. Diga que são todos arrogantes, desonestos, corruptos, generalize mesmo, diga que não há exceção, e que se houver, você nunca conheceu uma. Assim, você fará de tudo para nunca ser um deles. Se você fala só um pouquinho mal dos ricos, então você também fará somente um pouquinho para não se tornar um deles.
- Fale mal do dinheiro: Diga que é fonte de todo mal, da ganância, que corrompe as pessoas. Associe todo tipo de pensamento e sentimento negativo a ele, dessa forma você desejará que ele fique bem longe.
- Reclame das contas que você tem a pagar: Sempre que chegar uma conta, se aborreça bastante. De preferência, tenha uma azia. Diga o quanto ela é absurda e o quanto as empresas são ladras e exploradoras. Pode ser qualquer conta: água, luz, telefone, condomínio, escola das crianças, cartão de crédito, parcela do carro. Nunca reconheça os benefícios que os serviços que utilizados trouxeram pra você. Reclame bastante, gaste muita energia com isso. Quem sabe assim na próxima vez a conta vem menor.
- Seja mesquinho: Não doe nada nunca. O que é seu é seu. Ajudar? Pra quê? Se a vida já estão tão difícil e você lutou tanto... Além do mais, tem muita corrupção nas instituições. Não dá pra confiar em ninguém, seu dinheiro vai ser roubado se você doar. Guarde tudo pra você, afinal de contas, não sabemos o dia de amanhã.
- Leia e colecione todo tipo de notícia ruim sobre a economia: Assista atentamente aos noticiários, leia todas as reportagens. Toda vez que tiver uma notícia ruim a respeito da economia, preste muita atenção. Se for revista ou jornal, recorte e guarde para você não esquecer. Isso não vai deixar você pessimista, mas sim, realista. Você é uma pessoa que precisa e gosta de estar bem informado para poder se prevenir.
- Atribua a sua situação econômica e a dos outros à sorte ou ao azar: Quando vir alguém muito bem financeiramente diga que foi sorte. Quando você estiver mal, diga que foi azar. Reze bastante para que a sorte bata à sua porta e você possa finalmente prosperar, quem sabe até mesmo, ganhar na loteria. A verdade é que você tem pouca ou nenhuma influência sobre a sua vida financeira e só é possível ter esperança contando com a sorte mesmo.
- Fique revoltado quando souber de alguém que ganha um salário altíssimo: Não é justo que um artista ou um jogador de futebol ganhe tanto. Afinal de contas, você e outras pessoas estudaram mais, são mais inteligentes e não ganham uma fração do que eles ganham. Fique bastante revoltado. Quem sabe assim o salário deles diminui e o seu cresce.
- Pechinche ao máximo, sempre: Quando for contratar alguém para realizar qualquer tipo de serviço, sinta-se feliz em conseguir fechar tudo a um preço inacreditavelmente baixo. Faço isso até mesmo quando for comprar coisas quem têm valor irrisório, tipo o amendoim na praia ou pamonha na rua. Parta do princípio que todos são exploradores e oportunistas e que você precisa se proteger. Quando alguém prestar um serviço surpreendentemente bom, nada de dar gorjetas ou elogios, pois a pessoa não fez nada além da sua obrigação.
- Culpe aos outros pela sua situação financeira: Culpe o governo, seus pais, seu ex-marido ou sua mulher, os filhos, seu sócio e etc... Se possível xingue todos eles três vezes por dia. Assim, quem sabe eles tomam consciência e vão deixar de atrapalhar sua vida e você vai prosperar muito.
- Tenha vergonha de prosperar: Quando alguém elogiar algo que você tem, diga que comprou na promoção, dividido em dez vezes no cartão! Pode ser uma viagem que você fez, um relógio, uma roupa, não importa. Você é uma pessoa modesta, humilde e não quer ser confundido com um rico esbanjador e ganancioso. Além disso, você ainda vai evitar muita inveja.
- Sempre que puder, leve vantagem sobre algo ou alguém: O mundo é dos espertos. Só assim se conseguem ganhar bem. Sendo assim, falsifique carteira de estudante para pagar meia entrada (ou peça a de alguém emprestada, pra não correr o risco de ser preso), venda um serviço fazendo propaganda enganosa, prometa e não cumpra, peça uma grana emprestada e não pague... As pessoas não vão confiar em você depois, mas o que importa isso? Você já teve a vantagem e já se deu bem. Ah sim, quando a conta do restaurante vier faltando alguma coisa, não avise ao garçom de jeito nenhum! O restaurante já é muito rico e só quer se dar bem em cima de você; você merece dar esse pequeno troco neles.
Bem, esses são apenas alguns comportamentos fantásticos para criar pobreza. Depois estarei dando mais dicas... boa sorte!
http://somostodosum.ig.com.br/clube/c.asp?id=24142

22 novembro, 2010

RECEITA DE MULHER

A mulher pra ser mulher
Não precisa desfilar na passarela
Mas sendo cheirosa, ajeitada
Eu tiro o chapéu pra ela

Se tiver o pé de anjo,
O cheiro de fruta, a pele macia
Se for manhosa, fogosa, carinhosa
Umbigo redondo e fundo
Que é pra beber água fria

Se tiver cintura de violão
A pisada leve que nem toca no chão
A boca de mel da cor de cereja
Que quando beija lampeja
E massageia o coração

Se tiver o sorriso de marfim
Tornozelo fino, ser dona do nariz
Os cabelos grandes, a palavra boa
Perfil de patroa e princesa que pede bis

Se tiver os olhos de lua cheia
No pé das orêia penuge de cana nova
Tem que ter bondade, sorriso que ilumina
Sonho de menina que todo dia renova

E o homem tem que ser homem,
Pra merecer
pois o homem só será
se a mulher deixar nascer

JURAÍDES DA CRUZ - poeta, compositor, músico Tocantinense

20 novembro, 2010


“Pa­ra apal­par as in­ti­mi­da­des do mun­do é pre­ci­so sa­ber:
a) Que o es­plen­dor da ma­nhã não se abre com fa­ca;
b) O mo­do co­mo as vio­le­tas pre­pa­ram o dia pa­ra mor­rer;
 c) Por que é que as bor­bo­le­tas de tar­jas ver­me­lhas têm de­vo­ção por tú­mu­los;
d) Se o ho­mem que to­ca de tar­de sua exis­tên­cia num fa­go­te tem sal­va­ção;
e) Que um rio que flui en­tre 2 ja­cin­tos car­re­ga mais ter­nu­ra que um rio que flui en­tre 2 la­gar­tos;
f) Co­mo pe­gar na voz de um pei­xe;
g) Qual o la­do da noi­te que ume­de­ce pri­mei­ro. Etc. Etc. Etc.”

Poeta: Manoel de Barros - MT
Fotógrafo: Paulo Santos -  PA

Menino do mato

Eu queria fazer parte das árvores
como ospássaros fazem.
Eu queria fazer parte do orvalho como as
pedras fazem.
Eu só não queria significar.
Porque significar limita a imaginação.
E com pouca imaginação eu não poderia
fazer parte de uma árvore.
Como os pássaros fazem.
Então a razão me falou: o homem não
pode fazer parte do orvalho como as pedras
fazem.
Porque o homem não se transfigura senão
pelas palavras.
E isso era mesmo.
Manoel de Barros

19 novembro, 2010

EU ESCREVI UM POEMA TRISTE

Eu escrevi um poema triste
E belo, apenas da sua tristeza.
Não vem de ti essa tristeza
Mas das mudanças do Tempo,
Que ora nos traz esperanças
Ora nos dá incerteza...
Nem importa, ao velho Tempo,
Que sejas fiel ou infiel...
Eu fico, junto à correnteza,
Olhando as horas tão breves...
E das cartas que me escreves
Faço barcos de papel!

Mario Quintana

17 novembro, 2010

PERDÃO

Perdoa-me
Se te considero parte de mim
E as exigências que me faço
Faço-te também
Achar que sou
Tanto você e és tanto eu
Que te trato
Como trato a mim
Quando a insegurança
Explode na minha cara
Perdoa-me
Se a linguagem
Do meu coração
É tão rudemente traduzida
Para a língua da razão
Não te sintas subtraída
Do meu respeitar
Que o meu coração importa
Dele és cativa
Desde quando
Vieste nele morar

(Marcos Quinan)

MADRIGAL MELANCÓLICO

 O que eu adoro em ti
Não é sua beleza
A beleza é em nós que existe
A beleza é um conceito
E a beleza é triste
Não é triste em si
Mas pelo que há nela
De fragilidade e incerteza
O que eu adoro em ti
Não é a tua inteligência
Mas é o espírito sutil
Tão ágil e tão luminoso
Ave solta no céu matinal da montanha
Nem é tua ciência
Do coração dos homens e das coisas
O que eu adoro em ti
Não é a tua graça musical
Sucessiva e renovada a cada momento
Graça aérea como teu próprio momento
Graça que perturba e que satisfaz
O que eu adoro em ti
Não é a mãe que já perdi
E nem meu pai
O que eu adoro em tua natureza
Não é o profundo instinto matinal
Em teu flanco aberto como uma ferida
Nem a tua pureza. Nem a tua impureza
O que adoro em ti lastima-me e consola-me

O que eu adoro em ti é A VIDA !!!

Manoel Bandeira

ERRO DE PORTUGUÊS

Quando o português chegou
Debaixo de uma bruta chuva
Vestiu o índio
Que pena!
Fosse uma manhã de sol
O índio tinha despido
O português.

Oswald de Andrade

AMOR E SEU TEMPO

Amor é privilégio de maduros
estendidos na mais estreita cama,
que se torna a mais larga e mais relvosa,
roçando, em cada poro, o céu do corpo.
É isto, amor: o ganho não previsto,
o prêmio subterrâneo e coruscante,
leitura de relâmpago cifrado,
que, decifrado, nada mais existe
valendo a pena e o preço do terrestre,
salvo o minuto de ouro no relógio
minúsculo, vibrando no crepúsculo.
Amor é o que se aprende no limite,
depois de se arquivar toda a ciência
herdada, ouvida.
Amor começa tarde
Carlos Drummond de Andrade

03 novembro, 2010

PASSARIM

video

Música: Marcelo Grillo
Letra: Milena Paixão
Canta: Amélia Barreto
Todos três, talentosos artistas capixabas, da cidade de Cachoeiro de Itapemirim.
Com gravura de Marcos Quiinan (Berrante 2) - goiano, radicado em Belém.

BABEL AMOROSA - Marcelo Grillo


Um dia, torno-me poliglota
E crio uma língua diferente
De linguagem suave e quente
Pra uso exclusivo dos amantes
Em voz que acalme e enterneça
Que apaixone e encante
Que desatine e enlouqueça
Pego o charme francês
A veemência italiana
O jeito analítico inglês
A suavidade espanhola
O aglutinativo alemão
A simplicidade latina
A imortalidade hebraica
E a doçura do português
Em letras que falam ao coração
Rabisco, coloco no papel
Reinvento uma babel.
E então te mando uma rosa
Junto com singelo convite:
“Venha me ver qualquer hora,
Ouvir Brahms, provar absintite,
conversar nessa babel amorosa”.
 
Gravura de Michelle Cunha

02 novembro, 2010

SILVANA DUBLOC - Ser Mulher

Ser mulher...É viver mil vezes em apenas uma vida. É lutar por causas perdidas e sempre sair vencedora. É estar antes do ontem e depois do amanhã. É desconhecer a palavra recompensa apesar dos seus atos.
Ser mulher...É caminhar na dúvida cheia de certezas. É correr atrás das nuvens num dia de sol. É alcançar o sol num dia de chuva.
Ser mulher...É chorar de alegria e muitas vezes sorrir com tristeza.É acreditar quando ninguém mais acredita.É cancelar sonhos em prol de terceiros.É esperar quando ninguém mais espera.
Ser mulher...É identificar um sorriso triste e uma lágrima falsa.É ser enganada, e sempre dar mais uma chance.É cair no fundo do poço, e emergir sem ajuda.
Ser mulher...É estar em mil lugares de uma só vez.É fazer mil papeis ao mesmo tempo.É ser forte e fingir que é frágil...Pra ter um carinho.
Ser mulher...É se perder em palavras e depois perceber que se encontrou nelas.É distribuir emoções que nem sempre são captadas.
Ser mulher...É comprar, emprestar, alugar, vender sentimentos, mas jamais dever.É construir castelos na areia, vê-los desmoronados pelas águas.E ainda assim amá-los.
Ser mulher...É saber dar o perdão... É tentar recuperar o irrecuperável.É entender o que ninguém mais conseguiu desvendar.
Ser mulher...É estender a mão a quem ainda não pediu.É doar o que ainda não foi solicitado.

Ser mulher...É não ter vergonha de chorar por amor.É saber a hora certa do fim.É esperar sempre por um recomeço.
Ser mulher...É ter a arrogância de viver apesar dos dissabores,Das desilusões, das traições e das decepções.
Ser mulher...É ser mãe dos seus filhos... Dos filhos de outros.É amá-los igualmente.

Ser mulher...É ter confiança no amanhã e aceitação pelo ontem.É desbravar caminhos difíceis em instantes inoportunos.E fincar a bandeira da conquista.
Ser mulher...É entender as fases da lua por ter suas próprias fases.
É ser "nova" quando o coração está à espera do amor.Ser "crescente" quando o coração está se enchendo de amor.Ser "cheia" quando ele já está transbordando de tanto amor.E ser "minguante" quando esse amor vai embora.

Ser mulher...É hospedar dentro de si o sentimento do perdão.É voltar no tempo todos os dias e viver por poucos instantes.Coisas que nunca ficarão esquecidas.
Ser mulher...É cicatrizar feridas de outros e inúmeras vezes deixar as suas próprias feridas sangrando
Ser mulher...É ser princesa aos 20... Rainha aos 30...Imperatriz aos 40 e... "Especial" a vida todar mulher...É conseguir encontrar uma flor no deserto.Água na seca... Labaredas no mar.
Ser mulher...É chorar calada as dores do mundo eEm apenas um segundo, já estar sorrindo.
Ser mulher...É subir degraus e se os tiver que descer não precisar de ajuda.É tropeçar, cair e voltar a andar.

Ser mulher...É saber ser super-homem quando o sol nasce.E virar cinderela quando a noite chega.
Ser mulher...É ter sido escolhida por Deus para colocar no mundo os homens.
Ser mulher...É acima de tudo um estado de espírito.É uma dádiva... É ter dentro de si um tesouro escondido,e ainda assim dividí-lo com o mundo!

01 novembro, 2010

Drummmond - MEMÓRIA

Amar o perdido
deixa confundido
este coração.

Nada pode o olvido
contra o sem sentido
apelo do Não.

As coisas tangíveis
tornam-se insensíveis
à palma da mão.

Mas as coisas findas,
muito mais que lindas,
essas ficarão.
Carlos Drummond de Andrade

MARCONI PERILLO

O senador Marconi Perillo (PSDB) é o novo governador de Goiás. O candidato recebeu 1,5 milhão de votos (53%) e vai ocupar o Palácio das Esmeraldas pela terceira vez. Seu adversário no segundo turno, o ex-prefeito de Goiânia Iris Rezende (PMDB) teve 1,4 milhão de votos (47%). A vitória de Perillo é mais uma de um período de sucessivos triunfos nas urnas que teve início em 1990, quando foi eleito deputado estadual de Goiás.

31 outubro, 2010

AMOR MADURO - Elenir Marins

Enquanto você não chega...
Eu caminho sem segredos.
E respiro lentamente,
De modo que meu coração não canse,
E o silêncio não apague,
O sorriso dos meus lábios.
Enquanto você não chega...
Melhor não fazer promessas,
Melhor não querer a espera,
Melhor esquecer a entrega,
A solidão e o frio tão presentes,
Melhor é não acreditar.
Não sei o que será amanhã,
Melhor não querer saber.
Enquanto você não chega...
Vou lhe esculpindo nos meus versos,
E modelando os versos da sua poesia,
Em imagens, canções e harmonia.
De tanta emoção e saudade,
De alguém que eu não sei,
Se um dia vai chegar.
Nova vida, novo tempo,
Que possam haver novos amores.
Enquanto você não chega...
Fico a imaginar a vida sem voce,
Vivendo tão distantes,
Sentimentos tão próximos.
A delicadeza do sentir,
Na insensatez do amar.
Na boca o mesmo gosto,
Na face o mesmo olhar,
E o calor das mãos a me tocar,
Que coisa louca !
É imaginar que não haja amanhã,
E sentir sem medos.
Ah ! Nossos corpos escondem,
O que nossas bocas revelam,
No aconchego do segredo de um sonho.
Enquanto você não chega...
Vou admirando as noites de lua cheia,
Para que o coração permaneça vivo,
Depois de ter lutado em tantas batalhas,
Ele não se permita morrer,
Depois de ter trilhado tantos caminhos,
A chama continue acesa,
Por ideais, por desejos, por amores,
Por vivências, por querências,
Mas nunca morrer.
Enquanto você não chega...
Vou vivendo sem espera,
Sem medida e sem tempo.
E não importa se não amarrem os laços,
Se não cruzem os passos.
Que o meu destino é você.

DILMA minha Presidente...

TORCI POR SERRA, "detonei" o quanto pude a candidatura de Dilma, não a queria eleita. Mas passada as eleições, sai do foco a candidata, assume Dilma - minha Presidente.
E  com a liturgia do cargo, vem de mim o respeito que tenho à toda autoridade. Pois diferentemente dela, sou seguidora 365 dias por ano, do livro sagrado - a Bíblia, que nos orienta a respeitar TODA autoridade constituída. Não sou cristã de ocasião, ou com fins lucrativos, eleitoreiros.... por isso com respeito: Parabéns Dilma!!


DILMA é eleita primeira mulher presidente do Brasil,com 54.878.838 votos, 55,92%  dos válidos,
Após quatro meses de uma campanha em que temas morais e religiosos ofuscaram propostas concretas sobre temas importantes à nação, Dilma Rousseff é eleita a primeira presidente da história brasileira. A candidata petista derrotou o tucano José Serra em um segundo turno em que a abstenção superou os 20 milhões de eleitores.
Com mais de 95% dos votos apurados, a sucessora de Luiz Inácio Lula da Silva não vai alcançar a votação de 2006 do atual presidente. Naquele ano, Lula obteve mais de 58 milhões de votos, e Dilma soma até o momento cerca de 53 milhões.
Dilma confirmou a força do PT no Nordeste, vencendo em todos os Estados da região, em alguns deles com votação superior a 70% dos votos válidos como Maranhão e Pernambuco. A presidente eleita também teve uma vitória importante em Minas Gerais, reduto do PSDB que elegeu o tucano Antônio Anastasia em primeiro turno.
TrajetóriaQuatro segundos. Nenhuma palavra. Uma mesa distante da do chefe. Essa foi a participação de Dilma Rousseff na primeira propaganda eleitoral do candidato Luiz Inácio Lula da Silva, em 2002. Oito anos depois, ungida por seu mentor para sucedê-lo, a ex-ministra, na primeira disputa eleitoral de sua vida, transcendeu a fama de gestora sisuda para se tornar a primeira presidente da história brasileira.
Sem programa, um de seus desafios será provar que não é apenas uma sombra de Lula, dizem analistas. Além da confiança do presidente, o grande trunfo da petista foi a política de alianças adotada pelo PT e pelo próprio presidente para elegê-la. Graças ao apoio formal de PMDB, PCdoB, PDT, PRB, PR, PSB, PSC, PTC e PTN, a campanha de Dilma ganhou força com o início do horário eleitoral obrigatório. Com isso, a candidata ganhou personalidade.
Ficou por pouco o triunfo já no 1º turno, depois de uma onda de rumores e outra de denúncias envolvendo seus aliados. Para vencer na votação de 31 de outubro, a ex-ministra-chefe da Casa Civil teve de renovar seu pragmatismo assinando compromissos com religiosos, iniciar campanha negativa contra o rival José Serra (PSDB) e trocar a gagueira que a abatia nos idos de abril, na pré-campanha, por aquilo que chamou de “assertividade”, mas que foi considerado agressividade pelos adversários.....Obediente e pragmática, atendeu prontamente aos conselhos do marqueteiro João Santana. Adotou novo visual.A presidente eleita forjada na campanha é diferente da espe lialista em energia que, com seu temperamento forte, foi alçada ao primeiro time do governo após o escândalo do mensalão, em 2005.Neste ano, tentou aliviar a imagem da mulher que passava descomposturas em colegas ministros. “Sou uma mulher dura cercada de homens meigos”, costuma dizer, em tom de ironia. Buscou evitar confrontos, mas às vezes partiu para o ataque, principalmente em momentos-chave do segundo turno.

O ANALFABETO POLÍTICO

O pior analfabeto é o analfabeto político.
Ele não ouve,
 não fala,
 nem participa dos acontecimentos políticos.
 Ele não sabe o custo de vida,
 o preço do feijão,
 do peixe,
 da farinha,
do aluguel,
do sapato
e do remédio dependem das decisões políticas.
O analfabeto político é tão burro
que se orgulha e estufa o peito dizendo que odeia a política.
Não sabe o imbecil que,
da sua ignorância política,
nasce a prostituta,
o menor abandonado,
que é o político vigarista,
pilantra,
corrupto
 e lacaio das empresas nacionais e multinacionais.

(Bertolt Brecht)

30 outubro, 2010

CANÇÃO NA PLENITUDE - Lia Luft

Não tenho mais os olhos de menina
nem corpo adolescente, e a pele
translúcida há muito se manchou.
...Há rugas onde havia sedas, sou uma estrutura
agrandada pelos anos e o peso dos fardos
bons ou ruins.
(Carreguei muitos com gosto e alguns com rebeldia.)
O que te posso dar é mais que tudo
o que perdi: dou-te os meus ganhos.
A maturidade que consegue rir
quando em outros tempos choraria,
busca te agradar
quando antigamente quereria
apenas ser amada.
Posso dar-te muito mais do que beleza
e juventude agora: esses dourados anos
me ensinaram a amar melhor, com mais paciência
e não menos ardor, a entender-te
se precisas, a aguardar-te quando vais,
a dar-te regaço de amante e colo de amiga,
e sobretudo força — que vem do aprendizado.
Isso posso te dar: um mar antigo e confiável
cujas marés — mesmo se fogem — retornam,
cujas correntes ocultas não levam destroços
mas o sonho interminável das sereias.

28 outubro, 2010

CHUVA

Chove.
Que chova bastante para apagar a poeira desta terra!
Que chova muito mesmo para acalmar o ódio dos mortais!
Que chova demoradamente para lembrar a todos que
Paz e salvação, que corpo humano é pó!
Na vidraça escorrem pingos.
A trégua da raiva se impõe.
Há uma pausa: de compreensão, de solidariedade,
de pena, de bondade até.
Chove.
Que chova, porém fininho, que chova delicadamente
porque chuva é feminina e, como boa mulher, pode
resolver desavenças capitais.
Que se esfriem o reboliço e a tensão política
internacional!
Chove.
Que chova bastante, para apagar a poeira desta terra!
Que chova muito mesmo para apagar o ódio dos mortais!
Que chova demoradamente para lembrar a todos que
Paz é salvação, que corpo humano é pó!

Sérgio Gonçalves Lofêgo nasceu no município de Cachoeiro de Itapemirim, no Estado do Espírito Santo, em 16/02/1936, filho de Eliseu Lofêgo e Eny Gonçalves Lofêgo. Advogado, promotor de justiça, professor, jornalista, cronista, poeta, desportista. Escreveu inúmeras crônicas, publicadas em todos os jornais de Cachoeiro de Itapemirim e cidades vizinhas. Foi um dos fundadores da Academia Cachoeirense de Letras, onde ocupou a cadeira n. 1, cujo patrono é Benjamim Silva. Faleceu em 22/08/1986

Extraído: http://www.poetas.capixabas.nom.br/


Nunca tinha ouvido falar de Sérgio Gonçalvers Lofêgo, hoje li este poema um profile de facebook - fiquei encantada - vou tentar descobrir outros dele.

27 outubro, 2010

BRUNA LOMBARDI

DESÍGNIOS

alguém pode me dizer
se estava prevista na palma da minha mão
esta paixão inesperada
se estava já escrita e demarcada
na linha da minha vida
se fazia já parte da estrada
e tinha que ser vivida
ou foi um desgoverno repentino
que surpreendeu os deuses, todos
os que desenham o nosso destino
ou foi um desatino, uma loucura
uma imprevisível subversão
que só a patir de agora eu trago marcada
na palma da minha mão

AS TRES VELHINHAS (humor)

Três irmãs, de 90, 88 e 86 anos de idade viviam na mesma casa. Uma noite a de 90 começa a encher a banheira para tomar banho, põe um pé dentro da banheira, faz uma pausa e grita:
- Alguém sabe se eu estava entrando ou saindo da banheira?
A irmã de 88 responde:
- Não sei, já subo aí para ver...
Começa a subir as escadas, faz uma pausa, e grita:
- Eu estava subindo as escadas, ou descendo?
A irmã caçula, de 86, estava na cozinha tomando chá e escutando suas irmãs, move a cabeça e pensa: "Na verdade, espero nunca ficar assim tão esquecida". Bate três vezes na madeira da mesa, e logo responde:
- Já vou ajudá-las, antes vou ver quem está batendo na porta!

(Extraído do blog Mulher de 40 - http://noauge4ponto0.blogspot.com/)

25 outubro, 2010

Meu Amigo Meu Heroi



Meu Amigo, Meu Herói
Zizi PossiComposição: Gilberto Gil

Oh meu amigo, meu herói
Oh como dói saber que a ti também corrói
A dor da solidão
Oh meu amado, minha luz
Descansa tua mão cansada sobre a minha
Sobre a minha mão
A força do universo não te deixará
O lume das estrelas te alumiará
Na casa do meu coração pequeno
No quarto do meu coração menino
No canto do meu coração espero
Agasalhar-te a ilusão
Oh meu amigo, meu heró
iOh como dói
Oh como dói

IMPLACÁVEL TEMPO

Essa sensação do tempo voando só piora com o passar dos anos, tipo o réveillon, a gente já sabe pra onde vai quatro meses antes, e durante o réveillon o nosso assunto é o destino do carnaval, e porque também já não discutir a páscoa, não é mesmo? Acho que com uns oitenta anos as coisas ficam mais ou menos assim: “Feliz ano novo, bela fantasia, aceita um ovo de páscoa? Feliz ano novo.”
Outro dia liguei pra marcar uma consulta, mas para a minha surpresa o doutro ainda não tinha aberto a agenda de 2011. Sussurrei pra mim mesma, “2011?” A secretária ouviu e completou, “já estamos em outubro, passa rapidinho!” Ela tem toda razão, passa bem rapidinho....
E o papo de que o mundo acaba em 2012? Gente, 2012 tá aí, devo ficar esperando a coisa toda acontecer? Acho tão engraçado o mundo ter uma data pra acabar, como assim, né? E cada um tem uma teoria diferente, é chuva de meteoros, enchente, terremoto, uma loucura. Não gosto nem de imaginar.
Tudo anda passando muito rápido, eu amo uma roupa, me canso dela e ainda faltam mais duas parcelas no cartão de crédito. Espero segunda-feira pra começar um regime e quando eu vejo, já é quinta e quinta é dia de comer pastel na feira. Os pêlos crescem sem parar, assim como as unhas, a lista de supermercado, os filhos dos meus amigos, e eu fico apavorada quando eu lembro que as orelhas e o nariz da gente nunca param de crescer. Será que isso é verdade? Essa seria a única vantagem do fim do mundo.
Bom, o fato é que a gente nunca sabe o que pode acontecer realmente, talvez essa seja a grande graça de estar vivo, e como a vida não pára pra você ficar divagando sobre ela, eu preciso correr, a primavera já chegou, isso quer dizer que logo logo só falta 1 mês pro Natal. Ah!! Feliz Ano Novo!!
FL/CF)

23 outubro, 2010

BERTOLT BRECHT

ELOGIO DA DIALÉTICA

A injustiça passeia pelas ruas com passos seguros.
Os dominadores se estabelecem por dez mil anos.
Só a força os garante.
Tudo ficará como está.
Nenhuma voz se levanta além da voz dos dominadores.
No mercado da exploração se diz em voz alta:
Agora acaba de começar:
E entre os oprimidos muitos dizem:
Não se realizará jamais o que queremos!
O que ainda vive não diga: jamais!
O seguro não é seguro. Como está não ficará.
Quando os dominadores falarem
falarão também os dominados.
Quem se atreve a dizer: jamais?
De quem depende a continuação desse domínio?
De quem depende a sua destruição?
Igualmente de nós.
Os caídos que se levantem!
Os que estão perdidos que lutem!
Quem reconhece a situação como pode calar-se?
Os vencidos de agora serão os vencedores de amanhã.
E o "hoje" nascerá do "jamais".
Eugen Berthold Friedrich Brecht (Augsburg, 10 de Fevereiro de 1898Berlim, 14 de Agosto de 1956) foi um destacado dramaturgo, poeta e encenador alemão do século XX(WIKIPÉDIA)

 

ÁLVARES DE AZEVEDO

POR QUE MENTIAS?

Por que mentias leviana e bela?
Se minha face pálida sentias
Queimada pela febre, e minha vida
Tu vias desmaiar, por que mentias?

Acordei da ilusão, a sós morrendo
Sinto na mocidade as agonias.
Por tua causa desespero e morro...
Leviana sem dó, por que mentias?

Sabe Deus se te amei! Sabem as noites
Essa dor que alentei, que tu nutrias!
Sabe esse pobre coração que treme
Que a esperança perdeu por que mentias!

Vê minha palidez- a febre lenta
Esse fogo das pálpebras sombrias...

Pousa a mão no meu peito!
Eu morro! Eu morro!
Leviana sem dó, por que mentias?
Manuel Antônio Álvares de Azevedo (São Paulo, 12 de setembro de 1831- Rio de Janeiro, 25 de abril de 1852) - Além de poeta, foi contista, ensaísta e dramaturgo. Ligado à segunda geração do romantismo, é patrono da cadeira nº 2 da Academia Brasileira de Letras

21 outubro, 2010

Tunai - Frisson


Recebi um dia... guardei até hoje...fazer o que, né?? gostei...

GONZAGUINHA

UM HOMEM TAMBÉM CHORA   (GUERREIRO MENINO)    
Gonzaguinha
Um homem também chora
Menina morena
Também deseja colo
Palavras amenas...
Precisa de carinho
Precisa de ternura
Precisa de um abraço
Da própria candura...
Guerreiros são pessoas
Tão fortes, tão frágeis
Guerreiros são meninos
No fundo do peito...
Precisam de um descanso
Precisam de um remanso
Precisam de um sono
Que os tornem refeitos...
É triste ver meu homem
Guerreiro menino
Com a barra do seu tempo
Por sobre seus ombros...
Eu vejo que ele berra
Eu vejo que ele sangra
A dor que tem no peito
Pois ama e ama...
Um homem se humilha
Se castram seu sonho
Seu sonho é sua vida
E vida é trabalho...
E sem o seu trabalho
O homem não tem honra
E sem a sua honra
Se morre, se mata..
Não dá prá ser feliz
Não dá prá ser feliz...
É triste ver meu homem
Guerreiro menino
Com a barra de seu tempo
Por sobre seus ombros...
Eu vejo que ele sangra
Eu vejo que ele berra
A dor que tem no peito
Pois ama e ama...
Um homem se humilha
Se castram seu sonho
Seu sonho é sua vida
E vida é trabalho...
E sem o seu trabalho
O homem não tem honra
E sem a sua honra
 morre, se mata...
Não dá prá ser feliz
Não dá prá ser feliz...
Não dá prá ser feliz
Não dá prá ser feliz
Não dá prá ser feliz...

20 outubro, 2010

Pastor Silas Malafaia Responde Edir Macedo Parte 2/2

CECÍLIA MEIRELES

TE HEI DE AMAR

De longe te hei de amar,                                                                                       
- da tranquila distância
em que o amor é saudade
e o desejo a constância.


Do divino lugar
onde o bem da existência
é ser eternidade
e parecer ausência.


Quem precisa explicar

o momento e a fragrância
da Rosa, que persuade
sem nenhuma arrogância?

E, no fundo do mar,
a estrela, sem violência,
cumpre a sua verdade,
alheia à transparência.
Cecília Meireles

17 outubro, 2010

EU TE AMO MAMÃE!!!



Mãe, Eu Estou tão Cansado

Mãe, eu estou tão cansado e sinto nos ossos
o chamamento da água, o chamamento sibilino
que se confunde com o ranger das portas das casas
onde jamais voltarei: venha veloz o sono capaz
de me resgatar e que dentro dele se perfilem
as sombras e os gestos, exército dos meus medos
mais secretos, temores enrodilhados na roupa húmida
das camas. Mãe, a luz não se demora no meu quarto,
morre nas corolas das flores que trouxeste
para o riso não murchar, e eu fico doente só de olhar
os muros onde a hera é espiral de espanto, raiz
de uma enfermidade latente. Não voltarei
às actas do desespero, que são sombrias e magras
como os corpos dos amantes que definham sobre a
[areia
na fúria da maré, com uma gramática de murmúrios
escondida na solidão branca das dunas, mãe.

José Jorge Letria, in "Actas da Desordem do Dia"
 

Homem com TPM


HOMEM TAMBÉM TEM TPM!!
Pesquisa científica descobre uma anomalia hormonal masculina, batizada de Síndrome do Homem Irritável, equivalente a conhecida TPM, Tensão Pré-Menstrual, que ocorre nas mulheres.
Não é só o humor feminino que varia à mercê dos hormônios. O pesquisador Gerald Lincoln, do Conselho de Pesquisa Médica de Edimburgo, Escócia, acaba de descobrir uma anomalia hormonal masculina que ele batizou de Síndrome do Homem Irritável (SHI), uma espécie de equivalente masculino da velha conhecida Tensão Pré-Menstrual (TPM). Lincoln encontrou a síndrome em carneiros no inverno, o nível de testosterona desses animais cai mais de 90% e, como resultado, eles ficam agressivos, irritados, confusos e extremamente emotivos. Mais ou menos os sintomas da TPM. Isso surpreendeu os cientistas porque geralmente se acredita que agressividade está associada a altos níveis de testosterona. Agora, Lincoln está tentando confirmar sua hipótese de que a SHI afeta também humanos e de que muitos homens com diagnóstico de depressão precisam apenas de uma reposição hormonal para se sentirem melhor. Segundo ele, a SHI é causada por fatores emocionais e estresse, que derrubam os níveis de testosterona.
(Fonte: Revista SUPERINTERESSANTE)

13 outubro, 2010

ANA JÁCOMO

Há saudades que caminham comigo aconchegadas num lugar gostoso que a memória tem. Sei que estão lá, mesmo quando demoro um bocado de tempo para apreciar as histórias que me contam. São porta-jóias que guardam encantos que não morrem. Caixinhas de música, que, ao serem abertas, derramam melodias que me fazem dançar com elas de novo. São saudades capazes de amenizar o frio de alguns instantes com os seus braços de sol.
Mas existem também saudades que pousam no meu coração de vez em quando e ficam de lá me olhando com aquele olho comprido do quer escuta. Não falam de lugares, pessoas ou épocas da minha vida. São espelhos que não refletem feições conhecidas. São saudades que entornam perfumes que somente a alma reconhece. Que sobrevoam regiões por onde apenas as emoções caminham. Que destampam ausências que a gente algumas vezes prefere ignorar.

São saudades de um mundo que tem cheiro de quintal lá da infância da gente. Que é macio para todos os seres que nem lençol recém-trocado. Que tem o timbre de voz amada quando toca o nosso ouvido. Um mundo bacana onde as pessoas têm clima de passeio. Onde não existem armas, visíveis ou não. Onde a gente vive com o sentimento de estar brincando de roda uns com os outros: se um leva um tombo reflete na roda inteira
São saudades de um mundo contente feito céu estrelado. Feito flor abraçada por borboleta. Feito café da tarde com bolinho de chuva. Onde a gente se sente tranquilo como se descansasse num cafuné. Onde, em vez de nos orgulharmos por carregar tanto peso, a gente se orgulha por ser capaz de viver com mais leveza. Um mundo onde as pessoas confiam umas nas outras, não pode ser de outro jeito se estamos em família na humanidade. Um mundo onde a culpa deixou de ser uma desculpa para não sermos felizes. São saudades de um mundo onde o respeito não tem cheiro de mofo: todos somos iguais e todos somos diferentes e isso é claro, natural e indiscutível.
São saudades de um mundo que lembra a pureza de amarelinha desenhada com giz no terreno da escola. Que lembra a alegria de chegar no céu quando a gente pulava amarelinha. Que lembra a melodia gostosa da risada do amigo. Saudades de um mundo sem hipocrisia. Sem diz-que-me-diz-que. Sem jogo. Ninguém quer ferir ninguém, por nenhum motivo. As boas intenções são mesmo boas. Há em cada pessoa um cuidado, um bem-querer, um zelo amoroso, com relação a todas as outras, porque essa é a natureza do coração humano. Um mundo onde todas as formas de vida são abençoadas por todas as formas de vida.
São saudades de um mundo onde a gente pode falar de coisas inocentes sem temer parecer ridículo. Onde podemos ser sensíveis e expressar a nossa sensibilidade sem sermos olhados como vítimas de uma doença grave. Onde a busca pelo conforto da alma é tão necessária quanto a busca pelo conforto do corpo. Onde podemos caminhar pelas ruas, descontraídos, sem temer ser atacados por outro ser humano. Um mundo no qual, em vez de propagar o medo, as pessoas utilizam a sua energia para propagar o amor. Saudades de um mundo que às vezes eu sinto tão intensamente que já parece de verdade. Já parece existir, de alguma forma. Um mundo no qual habito toda vez que eu o vejo

 
INCONFESSO DESEJO
Postado por Ronaldo Brasiliense
Sex, 20 de Agosto de 2010 20:23

Queria ter coragem
Para falar deste segredo
Queria poder declarar ao mundo
Este amor
Não me falta vontade
Não me falta desejo
Você é minha vontade
Meu maior desejo
Queria poder gritar
Esta loucura saudável
Que é estar em teus braços
Perdido pelos teus beijos
Sentindo-me louco de desejo
Queria recitar versos
Cantar aos quatros ventos
As palavras que brotam
Você é a inspiração
Minha motivação
Queria falar dos sonhos
Dizer os meus secretos desejos
Que é largar tudo
Para viver com você
Este inconfesso desejo
Carlos Drummond de Andrade

NÃO VENHA, NÃO VÁ

levaria aconchego
nos braços apertando
apertado seu corpo
em delicada atenção
nosso momento de sonhar
rir das tempestades
e por instantes nos salvar
do tempo igual
que em igual se muda
levaria do horizonte
o sol nascendo
em minhas roupas
e os olhos prontos
para o seu olhar
dentro dos passos
de afinal chegar
limparia a poeira
das lonjuras de mim
mataria a saudade
enroscada sem fim
levaria meu cheiro
envolto na manhã
pra você cheirar
entre um beijo e outro
do tempo em migalhas
que podemos nos dar
mas vem dita a palavra
como mãos vazias
o instante está
não venha, não vá
(M.Quinan)

PAULO AUTRAN e CASIMIRO DE ABREU

Homenageio à toda criança interior, à todas as crianças do Brasil, bem como a Paulo Autran, hoje 12 de outubro de 2010, fazem 3 anos que ele nos deixou - deve estar a encantar no céu!!!



Oh! que saudades que tenho
Da aurora da minha vida,
Da minha infância querida
Que os anos não trazem mais!
Que amor, que sonhos, que flores,
Naquelas tardes fagueiras
À sombra das bananeiras,Debaixo dos laranjais!
Como são belos os diasDo despontar da existência!
— Respira a alma inocência
Como perfumes a flor;
O mar é — lago sereno,O céu — um manto azulado,
O mundo — um sonho dourado,
A vida — um hino d'amor!
Que aurora, que sol, que vida,
Que noites de melodia
Naquela doce alegria,
Naquele ingênuo folgar!
O céu bordado d'estrelas,
A terra de aromas cheia
As ondas beijando a areia
E a lua beijando o mar!
Oh! dias da minha infância!
Oh! meu céu de primavera!
Que doce a vida não eraNessa risonha manhã!

Em vez das mágoas de agora,

Eu tinha nessas delícias

De minha mãe as carícias

E beijos de minhã irmã!
Livre filho das montanhas,
Eu ia bem satisfeito,
Da camisa aberta o peito,
— Pés descalços, braços nus —
correndo pelas campinas
A roda das cachoeiras,
Atrás das asas ligeiras
Das borboletas azuis!
Naqueles tempos ditosos
Ia colher as pitangas,
Trepava a tirar as mangas,
Brincava à beira do mar;
Rezava às Ave-Marias,
Achava o céu sempre lindo.
Adormecia sorrindo
E despertava a cantar!
Oh! que saudades que tenho
Da aurora da minha vida,
Da minha infância querida
Que os anos não trazem mais!
— Que amor, que sonhos, que flores,
Naquelas tardes fagueiras
A sombra das bananeiras
Debaixo dos laranjais!